Um Pequeno Detalhe Que Só o Verdadeiro Amor Sabe Enxergar (Jonatha Paulo de Almeida)

Jonatha Paulo de Almeida

Jonatha Paulo de Almeida

Mamãe Terezinha, mamãe… Deus é justo, mas é amor…

O vovô Pedro está aqui do meu lado.

Toda a dor e dificuldade já passou, todo o limite já ficou para trás.

Estou andando perfeitamente, não preciso de qualquer cadeira e qualquer apoio.

Despertei ao lado de pessoas amigas e com o tempo e com os exercícios que me foram passados eu fui conseguindo ficar em pé e dar os passos para a minha emoção.

A respiração é leve, me senti mais leve, já estou me enturmando fazendo as amizades.

Não chore em casa ao sentir a minha ausência, e não poderá ser diferente. Eu só poderia vir até você mamãe para dedicar essa minha fala por sua dedicação e paciência para compreender as provas que eu precisava aceitar. Aceitação foi mútua…

O vovô Pedro me disse que um dia compreenderei melhor, mas disse-me que antes de virmos para essa experiência aceitamos as provas que iriam nos marcar.

Obrigado pela sua mão, pelo seu entendimento, por me amar e pelo bem como você me pensa.

Espero que todos os jovens até fiquem mais no videogame do que por aí criando problemas.

Perguntei para um amigo que conheci aqui se o universo não é uma expressão virtual em que Deus age. Ele me respondeu que Deus não brinca, mas Deus sustenta a vida e o universo que é verdade para sempre, e que nós no videogame inconscientemente queremos imitar Ele, quando é claro os games são de construção e bom objetivo.

Mãe fica com Deus, eu vou seguindo aqui e esperando que algum dia você possa me ver andando apesar que, falemos a verdade, você nunca se importou de eu estar preso à cadeira, porque isso para você era um pequeno detalhe que só o verdadeiro amor sabe enxergar.

Com amor e gratidão, abraço a todos.

JONATHA PAULO DE ALMEIDA (16/04/2012, 24 anos)

Mensagem psicografada no Centro Espírita O Bom Samaritano, em Curitiba, no dia 28 de abril de 2013, pelo médium Orlando Noronha Carneiro­

Leiam a comovente história de Jonatha: Blog de Terezinha de Jesus Araujo

Publicado em Psicografias