Sua Filha não Morreu (Nicole Montovani Ligeski)

Mamãe, papai Antonio…

Como iniciar mãe essa carta, se tudo é tão novo para nós, mas ao mesmo tempo desejo chegar aqui e dizer que sua filha não morreu…

Eu também preciso tanto de você mãe, porque sinto a sua falta das palavras de coragem que você me enviava no curso de seu tratamento.

Lutamos, e lutamos juntas…

Eu queria lhe dizer que jamais me esqueci de você aqui sequer um minuto.

Acredito que o câncer, que veio complicar, não será um castigo da vida e de Deus.

Eu estou querendo compreender tudo, mas me disseram que isso é questão para o tempo que me ajudará a entender, mas no que é real é que tive em você a mãe maravilhosa, mãe amiga, que soube até o último instante estar comigo, como o papai.

Espero que você não se entregue, como venho sentindo e vendo.

Mamãe, estou me recuperando, não sei por que meios, mas me vejo aqui intacta com todas as condições de andar perfeitamente sem quaisquer dificuldades.

É isso que você também precisa compreender e saber que não estou mais com limites, que aí eu estava no corpo físico com a cirurgia necessária que me trouxe dificuldades nas pernas.

Então mãe preciso lhe dizer que não tenho câncer aqui ou que esteja sofrendo.

Os tratamentos que faço aqui são para alguns ajustes que dizer ser naturais.

Acordei aqui com a ajuda de familiares que vim conhecer e que me acolhem com carinho.

As lágrimas me chegam de saudade, mas pedindo para você não se entregar.

Seja forte por mim, abrace minha irmã Bruna com saudades da irmã que não a esquece.

Receba os mesmos beijos que você me envia pela foto, e obrigado mãe, que se tornou a mãezona que chamais esquecerei pelo tudo de bom que você me fez.

Sua filha, com amor e gratidão…

NICOLE MONTOVANI LIGESKI (17/08/2013, 15 anos)

Mensagem psicografada nas Faculdades Integradas Espírita, organizada pelo Centro Espírita Bom Samaritano, em Curitiba, no dia 25 de maio de 2014, pelo médium Orlando Noronha Carneiro.

Publicado em Psicografias