Somos Aqui o Que Fomos Aí (Francisco Ivanildo de Oliveira)

Minha querida esposa, meu eterno amor…

Agradeço a sua presença e persistência na busca de notícias minhas.

Na verdade sou auxiliado a escrever, até porque a emoção é tamanha que penso não conseguirei sozinho manter-me nas condições ideais para a carta que lhe entrego.

Informo que sua mãe Tereza e seu pai Elizeu encontram-se do meu lado e mandam a você forte e grande abraço.

Peço que você se tranquilize porque estou a cada dia melhor por aqui.

Lembro-me das dificuldades no pulmão em razão do trabalho que realizei, que me gerou transtorno na saúde e depois penso agora com mais clareza que não auxiliei tanto a mim na condução da saúde e sei que precisava lhe ouvir mais.

Não posso me esquecer de lhe pedir que abrace por mim o Vinícius e o Bruno com toda a força de seu coração, porque a saudade também bate forte com eles nas minhas lembranças.

Sei também que você me faz falta com suas palavras que me policiavam e que me ajudavam a caminhar com mais segurança.

Eu deveria sim lhe ouvir mais, mas fazer o que? Vamos dizer assim, descontrole nas bebidas, o que foi gerando um impacto forte em meu corpo já com suas fragilidades.

Olhe, aviso que morrer não é resolver os problemas quando chegamos aqui. Somos aqui o que fomos aí. Falo isso porque ainda segui em tratamento com o amparo de criaturas boas e me foram e são sustento para a minha paz.

Agora me vejo controlando melhor as emoções pois essa é uma grande batalha. Entender o novo caminho e realidade, equilibrar o corpo que agora me vejo por aqui e tratar de pensar como se valer da condição da ausência sua e dos meninos.

Então a sua luta não é tão diferente das lutas minhas. Seu coração sabia que eu viria, e você estava certa, pois desde o início dessa semana eu recebi as informações de que poderia me inscrever, pois me avisaram os benfeitores daqui que você viria em busca de notícias.

Então hoje lhe entrego esta carta naquilo que posso lhe escrever, e tranquilizar seu coração sempre bondoso e amigo que sempre me acolheu e que vejo aqui o quanto me faz falta.

Então eu confirmo esse seu pensamento de que eu viria para as notícias.

Não posso negar, fui irresponsável com as minhas ações de vir para essa nova jornada que posso lhe dizer, não vim com todas as condições melhores que eu poderia ter vindo, mas estou me esforçando para estar a cada dia com mais confiança e amor na nova trilha a ser caminhada.

Diz o médico espiritual que me atende que não demorará para que o pulmão espiritual se equilibre como todo o seu potencial.

São as palavras que eu consigo lhe transmitir, e conte com minha compreensão, pois você precisa seguir e ser feliz, e serei seu torcedor do lado de cá.

Com meu carinho e gratidão de sempre, sou sempre seu ao seu lado.

FRANCISCO IVANILDO DE OLIVEIRA (13/09/2013, 40 anos)

Mensagem psicografada na Associação Beneficente Espírita Caminheiros do Bem, em Curitiba, no dia 16 de agosto de 2015, pelo médium Orlando Noronha Carneiro.

Publicado em Psicografias