Psicografia: EU NÃO SAÍ DE SUAS VIDAS COMO VOCÊS PENSAM (Bruno Carlos Neves de Andrade)

EU NÃO SAÍ DE SUAS VIDAS COMO VOCÊS PENSAM


Bruninho

Bruninho

Mamãe, Papai Antônio, Karim querida, eu quero pedir a Deus que nos dê forças.

Sou conduzido pelo vovô João, que está ao meu lado enquanto eu tento escrever.

Sim, tento escrever, pois só cheguei aqui graças ao auxílio que me é dado.

Mãe, eu escuto suas lágrimas e da Karim todos os dias, e isso tem me afetado, porque eu não sei o que socorrer: as minhas saudades, ou a saudades de vocês.

Eu peço que vocês lutem para reverter essa dor. Eu não estou pedindo o impossível, para vocês não chorarem, mas um pouco mais controlada.

Eu vacilei na condução na moto, foi um acidente, sem que possamos responsabilizar a ninguém.

A mim deve ser colocada qualquer responsabilidade. Apesar dessa fatalidade eu agradeço que não criei vítimas, que não criei problemas para ninguém.

Karim, não se entregue, por favor. Não vamos aumentar ainda mais essa nossa dor. Não vamos fugir da realidade. O pouco juntos em nosso ninho deve ser uma lembrança eterna.

Mãe, não esqueça de deixar lembranças minhas a meus irmãos João Carlos, Jonatan, espero que eles sejam felizes.

Sei que as festas serão duras, mas elas já chegaram, e penso que essas notícias, se não me trarão ao lado de vocês, estará me devolvendo espiritualmente a vocês.

Vocês entendam o meu tempo, e eu estou procurando encontrar comigo mesmo.

Às vezes pensamos que dominamos as máquinas, mas esquecemos de que elas se conduzem como lhes conduzimos e nos dará o resultado de nós mesmos.

Eu não consigo mais escrever, mas é o que quero lhes dizer. Soube que você pegou o carro, mamãe, com o firme propósito de se matar.

Bruninho

Bruninho

Mamãe, isso me desgostou muito. Não é debaixo de uma carreta que você encontrará passagem para me encontrar. Não pense nessa bobeira mãe. Continuem v

ocê e a Karim se fortalecendo unidas em casa.

Eu não saí de suas vidas como vocês pensam. Eu apenas estou prosseguindo na mesma vida onde me preparo para compreendê-la.

Não chore sobre as minhas coisas, seus pensamentos me chegam. Se abracem sobre essas folhas, elas são vidas para nós.

Karim, fique bem e até mais.

O filho e esposo com meu avô João, Bruninho.

BRUNO CARLOS NEVES DE ANDRADE (04/09/2010, 26 anos)

Mensagem psicografada pelo médium Orlando Noronha Carneiro, dia 12 de dezembro de 2010, no Grupo Espírita de Caridade Meimei, em Curitiba.
Publicado em Psicografias

Deixe uma resposta