EU NÃO FUI EMBORA, EU APENAS DISSE UM ATÉ BREVE… (Marcus Aurélio)

Minha esposa, não sei tão bem como iniciar a carta como me entrego no intuito de deixar seu coração mais tranquilo.

Eu estou também com meu pai Vinícius.

Quem poderia dizer que nossa vida tomaria outro rumo?

Não saberei lhe esclarecer tudo que precisamos para entender o que me aconteceu.

Como informaram, as coisas devem vir no tempo certo, então estou tendo paciência para aceitar a transferência, mesmo estando bem ao lado do papai Vinícius.

Quando a saudade aperta, quando vem aquela saudade da Rafaela e do Nicolas, e as lágrimas apertam, preciso fazer um grande esforço para não desanimar, e cair em prostração total.

Recordo que seguia com a moto em meu sentido de faixa de forma correta, e você é testemunha que excedia nos cuidados pelas ruas.

Eu só me lembro do veículo pesado que cortou a minha frente, senti o impacto para depois não mais nada sentir.

Eu não poderei determinar se houve intenção do condutor do veículo que me atingiu. Tenho na verdade a certeza de que ele não teve intenção alguma, e no pensamento pessoal penso no automatismo de alguém que cortasse para a outra faixa buscando seu próprio caminho sem ter visto que alguém em veículo pequeno seguia rente.

Quantos dizem que precisamos ouvir as respostas de nosso coração? É o que o meu coração diz. Foi um acidente em que um instrumento externo não intencional se fez o agente das provas que necessitava passar.

Agora até fico a pensar em manter-me ainda um pouco mais em Curitiba antes da viagem para São Paulo.

Abrace por mim a Rafaela, nossa Rafa, e nosso grande e pequeno Nicolas.

Eu não fui embora, eu apenas disse um até breve…

Seu esposo, com o coração em paz, mas com uma imensa, vamos dizer, uma baita saudades.

Durma bem!

MARCUS AURELIO SOUZA LIMA (14/06/2010, 48 anos)

Mensagem psicografada pelo médium Orlando Noronha Carneiro, dia 17 de abril de 2011, no Grupo Espírita de Caridade Meimei, em Curitiba.
Publicado em Destaques, Psicografias

Deixe uma resposta