Psicografia: DEUS SABE QUE SOMOS CRIANÇAS QUE CAMBALEIAM E LEVANTAM (Guilherme Veira Brasil)

Guilherme

Guilherme

Mamãe, minha mãe Telma, com meu pai Osvaldo…

Como começar a carta que também desejo transmitir para tudo esclarecer deixando os “pingos nos is” e de alguma forma, tranquilizar as coisas em casa.

Só não estou cem por cento, porque não podemos fugir da real, eu agredi a mim mesmo.

Aos poucos, junto com meus avós João e Silvia vou encontrando Deus e aprendendo a compreendê-lo e verificar que Ele a tudo mantém.

A responsabilidade é minha do que fiz comigo mesmo…

Rememoro o tratamento que necessitei para o suporte aos meus sentimentos fragilizados.

O que deverá ser pior para uma pessoa: uma doença física, clara e evidente, ou a doença da mente? As duas são terríveis, mas acredito que as fragilidades da alma são complexas.

Por mais que tenha recebido medicações, por mais que tenha recebido cuidado, o turbilhão dos meus conflitos internos foram muitos e acho que aí que reside mamãe a grande dificuldade dos psicólogos e psiquiatras.

Eu sei o que deve ser para alguém que briga consigo mesmo. Não é fácil…

Era isso que ocorria comigo, uma luta constante com o “me aceitar no mundo”, não quero que vocês pensem em ter falido comigo em alguma situação, não entendam por este lado, foi por mim mesmo que fiz o que fiz.

Desculpe o que aconteceu comigo, me perdoe, aliás, o que fiz para mim mesmo… Não pensem que tudo poderia ser evitado, você mamãe fez o melhor de si… Acredite, que você foi o melhor para mim…

Espero que de alguma forma a Patrícia, minha irmã, supere a minha ausência apesar de que cada um tem o seu valor.

Hoje estou melhor, meus avós me ajudam. Estou em tratamento, graças a Deus, para renovar os meus caminhos.

Como me disse o vovô João, ninguém ofende Deus, com suas imperfeições, mas Ele sabe que somos crianças que cambaleiam e levantam depois.

Fica bem mamãe, por favor, junto com o papai Osvaldo, continuem seguindo, amparando a minha irmã.

Sou seu filho que beija suas mãos, com o coração apertado pela saudade, mas com o coração aliviado por esta hora.

Seu filho, Guilherme.

GUILHERME VIEIRA BRASIL (02-03-2010, 23 anos)

Mensagem psicografada no Centro Espírita Recanto da Prece, em Curitiba, no dia 25 de março de 2012, pelo médium Orlando Noronha Carneiro­

Publicado em Links, Psicografias

Deixe uma resposta