CARIDADE DO PENSAMENTO (Nathanael)

Diante das dificuldades que assolam a sociedade humana, solidariamente animam-se corações distribuindo auxílio em nome da caridade.

Ante as calamidades de monta que detonam criaturas, movimentam-se pelos meios mais variados o amparo material que minimiza dores e aflições.

É o amor em ação.

Contudo não podemos olvidar a caridade do pensamento. As palavras de conforto e edificantes também representam mecanismos da caridade.

Desenvolvamos o exercício da caridade do pensamento diante de circunstâncias constrangedoras.

Diante de Pilatos, Jesus usou a caridade do pensamento ao não lhe responder à questão proposto do que seria a verdade.

Diante dos guardar que executaram a hediondez da crucificação, que lhe imprecavam[1]: “Se és rei dos judeus, retira-te daí”.

Jesus, mesmo no acicate[2] da dor, usou a caridade do pensamento, compreendendo que estava na presença de crianças espirituais, em que a forja do tempo lhes lapidariam a alma.

Construamos a proposta da caridade do pensamento, sem pensar mal de ninguém, o exercício do amor silencioso.

Concernente[3] à caridade do pensamento, temos na prece pelo pensamento o instrumento divino a auxiliar as criaturas.

É pela caridade do pensamento, em nome do amor, que Deus nos sustenta e a todo o universo.

NATHANAEL

Mensagem psicografada pelo médium Orlando Noronha Carneiro, dia 20 de fevereiro de 2011, no Grupo Espírita de Caridade Meimei, em Curitiba.

[1] Imprecar: rogar pragas, praguejar, maldizer
[2] Acicate: estímulo
[3] Concernete: relativo
Publicado em Psicografias

Deixe uma resposta