PAZ NA TERRA (Louise Sayuri Maeda)

Querida mãezinha Daisy, querido papai Satyro, com as saudações da filha, junto com o meu terno vovô Antonio.

Mamãe entendo a sua dor, a sua aflição…

As nossas notícias, são nossas…

Você está correta em manter em família, para que não tenha a nossa interferência no processo que segue.

A coordenação de qualquer atividade requer a observação e o que ocorre ao redor.

Infelizmente, temos as pessoas que não são legais e caminham por ações que o bem desabona, e assim, nós, que pautamos pelas ações corretas, que não nos permite aceitar a incorreção, podemos estar em frente de pessoas maldosas que podem arquitetar conosco, mas sempre acreditei nas pessoas, aprendi com vocês a rota do bem e não pensei em qualquer “armação” contra mim, daí vocês sabem o que aconteceu.

Para mim era uma alegria chegar ao posto de trabalho e ser útil para as pessoas.

A movimentação no “Shopping Mueller” me encantava porque amo ver e estar com as pessoas.

A gente pede tanto para Deus que nos mostre a Sua presença e a gente nem se dá conta que cada pessoa é uma parte D’Ele.

Vocês poderiam me perguntar como eu estou me sentindo perante aos autores de triste acontecimento e hoje diria que fica uma tristeza feito mágoa pelo ocorrido, mas não penso em ódio ou ressentimento, esses dois sentimentos não conseguem morar dentro de mim.

Eu posso estar com a dor da saudade, mas não estou com as mãos sujas do erro, sou livre na consciência, sou livre nas mãos, o que um criminoso traz diante de si? Dentro de si: Prisão.

Mesmo que aqueles que vivem se escondendo do que fizeram, um dia olharão para si, e verificarão que identificarão uma prisão dentro de si.

Jesus é o tudo para mim, N’Ele é que me fortaleço.

Mamãe, a vida nos dará mil meios para que fiquemos juntos de alguma forma.

Não nos faltará os caminhos da fé, que nos sustentará e nos trará a paz que precisamos.

Quem sabe um dia destes dou meu “ar da graça” no “face”.

Estou aqui, ao lado da Ana Claudia, minha amiga linda do lado de cá, eu estou com ela.

O dia que precisar, apareça em público, leve a foto minha estampada na camiseta com os dizeres: “Paz na Terra”. Assim estaremos colaborando pela paz.

Veja aí as madrugadas repletas de violência e acidentes…

Quantos jovens se entregando a tantos descaminhos…

Creio que não tiveram a família que tenho e que aprendi as lições do bem.

Pai e mãe, beijo ao meu irmão Akira, “Hello” estou com saudade dele.

“Conection”, beijo mãe, beijo pai.

Perto de vocês, Louise Sayuri Maeda, meu beijo mamãe.

LOUISE SAYURI MAEDA (31/05/2011, 21 anos)

Mensagem psicografada no Centro Espírita Recanto da Prece, em Curitiba, no dia 25 de agosto de 2012, pelo médium Orlando Noronha Carneiro­

Publicado em Psicografias

Deixe uma resposta