PASSARELA DE DEUS (Izabel Hoffman da Silva)

Izabel

Izabel

Querida Mãezinha, Luciane e papai, meu querido papai Alcides…

Que a luz chamada Jesus nos ilumine, dê a claridade em nossa estrada…

Carla irmã, Deus a abençoe, sempre para todo o sempre…

Mamãe me vejo como se estivesse debruçada em minha cama com uma caderneta e estivesse lhe deixando um recado, um lembrete, pois não mudou mãe, papai, o que sinto por vocês.

Parece que me vejo sobre as ruas de Biguaçu, passeando na maior passarela de nossa vida, falando aqueles costumes nossos “oi”, “como vai”, “beijinho ali, beijinho lá”, que satisfação, meu Deus, aquela gente boa que parece ter chorado com a gente.

Eu escutei em minha alma as lágrimas de muita gente que pareciam confundir com as minhas, recebendo por aqui visitas legais da cidade dos que vieram antes de mim, gente que não conheci, mas que me conheciam…

O que tinha me ocorrido, tantos sonhos, tantos projetos, e em poucos segundo a trajetória havia mudado.

Com vocês eu procurei saber o porquê de tudo que tinha acontecido. Esses pensamentos me ocorreram após ter consciência de mim mesma.

Pai, mãe, acordei como acontecia após dormir à noite e ver o dia claro. Acordei pensando em vocês, mas depois pude saber que eu havia aberto os olhos em outro local em que os olhos humanos não podem enxergar naturalmente.

Eu não pude conter as lágrimas, e pensar em explicar ou mandar um recado no celular dizendo que não parti de vez, mas que havia ausentado por alguns instantes.

Eu te via papai chorando ao lado da mamãe com a ausência de meu cheiro, de meu bom dia e de meu boa noite, mas foi o vovô Edgar Hoffmann que veio ao meu encontro e dar aquele apoio que precisava para tudo entender e sair da tristeza para que me recolhia.

As lágrimas foram acalmando e pude receber a instrução de que meu tempo com vocês tinha chegado e que não vim antes como podemos pensar. Não vim antes…

Pai, mãe, não chorem a minha ausência, estou bem ao lado de vocês lá em casa beijando-lhes a mão, se achegando a vocês também pedindo carinho e dengo que vocês agora precisam e estou querendo dar aqui hoje para vocês que eu amo tanto porque não afastei do ninho de nosso lar.

Aqui também tenho uma casa em um lar para ficar no recanto de meus pensamentos.

Os médicos não teriam como prever assim o problema assim que viria entupir as veias importantes que vitalizavam o coração.

Estou começando a entender o porque de tudo, ou seja, o que estava nesse processo de provação.

Amanhece cada dia e estamos unidos papai, o controle da vida vem do alto, sejamos fortes e que a saudade não seja o sentimento de colocarmos para baixo.

Seja a saudade a nossa fonte de esperança e que nos traga a mensagem que um dia estaremos juntos para não haver qualquer Adeus.

IZABEL HOFFMANN DA SILVA (05/11/2011, 17 anos)

Mensagem psicografada no Centro Espírita Recanto da Prece, em Curitiba, no dia 29 de abril de 2012, pelo médium Orlando Noronha Carneiro­

Publicado em Psicografias

Deixe uma resposta