Olhar Para A Frente E Construir Um Novo Futuro (Alisson Andrey Do Nascimento)

Minha mãe Lourdes, mamãe, estou sendo auxiliando a escrever com apoio daquele que me é o João.

Estou procurando reativar a memória, e pessoas bondosas estão me ajudando a vencer muitas etapas difíceis para mim.

Não nos falte, mãe, a esperança no coração. Fizemos o que era possível nos tratamentos. Para mim, você sabe, era uma luta todos os dias.

As variações emocionais eram grandes, e as medicações buscavam controlar aquele vazio existencial em mim, aquela apatia que sentia em meu coração. Então eu ia levando a vida com o melhor possível, e claro, contando com o seu apoio e sua atenção.

Mas em dado momento, não fui mais suportando a pressão que vinha de meus próprios pensamentos, até que aconteceu o que sabemos. Não consegui suportar a pressão de mim mesmo, porque o problema era eu sim.

Mãe, me perdoe pela desistência, por ter jogada, como se fala, a toalha no chão.

Agora estou melhorando com apoio de criaturas, que mesmo não os conhecendo, me atendem com o máximo de cuidado e eficiência. Prossigo em tratamento com auxílio médico, com terapias intensivas que me auxiliam a ver a vida com mais cor.

Não posso chorar e lamentar por minha fraqueza, e só tenho que olhar com olhar de agradecimento pela compreensão que recebi, e recebo aqui como um grande remédio as suas preces diárias em meu favor para que eu esteja em um lugar bom com pessoas boas. Como me faz bem sentir, mãe, os seus bons pensamentos em meu favor.

Espero ver o Alex forte e com ânimo. Penso em todos com carinho, e sim triste em dados instantes por não ter aguentado, mas confiando nos tratamentos que exigiam perseverança e paciência.

O que mais me ensinam é olhar para a frente e construir um novo futuro. Mãe, fique em paz, estou amparado…

Que a Daniela e a Maria Fernanda estejam em paz também.

Eu pensei também que resolveria todos meus conflitos tentando sumir de mim mesmo, e enganei mesmo, ninguém foge da vida e de si. Se posso aqui dizer algo para os que estão aí é que aguentem firme na prova que estão vivendo, porque o suicídio é somar os problemas existentes com os outros que vêm do suicídio. É perder o tempo. São as minhas avaliações por sentir na própria pele.

Deixo estas notícias na condição do filho em recuperação, mas bem melhor e com mais entusiasmo para viver.

Pedindo perdão, sou o filho com muita saudade, Alisson.

ALISSON ANDREY DO NASCIMENTO (04/06/2015, 33 anos)

Mensagem psicografada na Associação Beneficente Espírita Caminheiros do Bem, em Curitiba, no dia 21 de agosto de 2016, pelo médium Orlando Noronha Carneiro.

Publicado em Psicografias