MESMO AQUI FALO PRA CARAMBA (Phamella Bley Pereira)

Phamella

Phamella

Querida mãezinha Carmen, querido papai Sérgio, titia Célia, as bênçãos de Jesus nos auxiliem nessa manhã já tarde que em nossos corações vencem as barreiras da morte que não existe.

A vovó Ana está aqui do meu lado enquanto eu escrevo para vocês dando-me apoio para que as minhas lágrimas não tirem o meu raciocínio.

Mamãe, papai, não estou sofrendo não, sem falta de qualquer consolo nas mãos…

A vovó Ana tem me ensinado acima de tudo a confiar em Deus diante da ocorrência infeliz que aconteceu comigo…

Fomos alvejados em surpresa pela maldade dos que vivem por aí maquinando a felicidade dos outros.

Custei um pouco a entender tudo, a pensar com calma diante do que presenciei, primeiro sendo assistida pela vovó que se apresentou para mim tranquilizando-me e ajudando-me a compreender o que tinha ocorrido.

O que mais me preocupou foram as condições de meu filho Cauã, mas sei que está com vocês e sendo auxiliado em seus caminhos.

Mas agora tudo já passou, já asserenei o coração, tanto é que estou aqui. Só me pediram para resumir a fala, pois não perdi o jeito, mesmo aqui falo pra caramba.

Mamãe e papai sejam fortes para compreender as coisas e aceitar com Deus.

A violência infelizmente está aí preocupando os homens, as autoridades estão em lutas para coibir essa manifestação de violência social que vem sangrando tantas famílias.

Sou ainda uma aprendiz que vem acompanhando as coisas do lado de cá e esperamos que no futuro essas calamidades sejam extirpadas do convívio em sociedade.

Não irei detalhar o que nos ocorreu com a abordagem surpresa que nos atacou.

Tia Célia fique bem, e estamos pedindo aos maiores daqui para que fortaleçam o Gabriel para que a revolta não perdure em seu coração.

Nada do que fazemos ficará sem registros e sem responsabilidade, os autores do ocorrido terão que responder pelo que fizeram, não só pela lei humana, mas pelas leis superiores que comandam as nossas vidas, e que Deus é o grande protetor de nossa vida.

Deixo o abraço para a Camila com a saudade intensa.

Mãe, obrigado pelo Cauã, hein…

Papai, meu beijo carinhoso…

Mamãe, tia, papai, meus irmãos e meu filho Cauã, amo todos vocês.

A filha bem melhor com o apoio da vovó Ana, Phamella.

PHAMELLA BLEY PEREIRA (23/05/2012, 20 anos)

Mensagem psicografada pelo médium Orlando Noronha Carneiro­ no Centro Espírita O Bom Samaritano, em Curitiba, no dia 30 de junho de 2013

Publicado em Psicografias