Não devemos jamais descrer da bondade de Deus (Gabriel Lopes)

Gabriel de Oliveira Lopes

Minha mãezinha Fernanda, chego aqui, com aquela que apresentou ser a bisa Teresa, cheguei junto com você e depois deixei você um pouco neste salão para ver tudo que é aqui na curiosidade de sempre.

Hoje, chegou nosso dia, e sem me entender bem não sei porque amoleci e aquele 220 volts se apagou um pouco pois sou auxiliado a ditar a mensagem e a carta neste caderno de folhas soltas. Vim até aqui, na caravana espiritual que se fez aqui, sem saber muito se ia dizer alguma coisa.

Ninguém me prometeu que eu ia escrever, mas de repente, o chamado tio Abelha disse assim:

“Oh alemão!”

Olhei para ele, e ele disse:

“É você sim, olho de esmeralda! Chega aqui. – E me disse o que ia acontecer.

Eu tinha vindo em outra oportunidade, para saber e aprender escrever. Foi aí que hoje, deu tudo certo.

O tio Abelha me disse:

“Olha, não pesnse que você vai conseguir fazer tudo o que você faz no controle remoto. Muda ali, muda aqui, muda canal e assim vai. É assim, é assim, é assim. E terminou, você entendeu alemão?”

E respondi:

“Ãham!

O tio Abelha deu uma risada e eu disse:

“Fiz alguma coisa errada?”

 -“Não, não alemão, é que hoje vai fazer Sol esta noite em Campo Largo, porque você não perguntou mais nada.”

Aí mãe, me liguei, porque me vi como chato de tudo querer saber.

“Manhê”, eu digo a você, que a bisa Teresa me disse que os problemas na área respiratória, eram as lições que precisei passar e que não devemos jamais descrer da bondade de Deus para conosco. Uma tosse que seja, deve ter o seu cuidado, não é mãe?

E você foi a minha heroína de atenção para comigo. Estarei perto de você sempre, coração a coração. Mas não esquecerei , mãe, a sua preocupação comigo todos os dias e hoje sinto mais o amor que nos une. Seu apoio sempre foi jóia e certeiro, não esqueça disso. Serei seu eterno companheiro e olha que nunca deixarei de dar uma espiadinha em casa.

Hoje, meu fluxo de respiração é normal. Eu e Kayo somos amigos aqui, “eita nóis, mãe”, não sei porque sou mais leve aqui. É engraçado, até outro dia estou esperando legal. Vai lá mãe, seu filho, na condição de seu Rei Gabriel de Oliveira Lopes.

 

GABRIEL DE OLIVEIRA LOPES

Mensagem psicografada na data de 15 de junho de 2014 pelo médium Orlando Noronha Carneiro.

 

Publicado em Psicografias