Esperança e Coragem (Leonardo Henrique Wosniak)

Leonardo Henrique Wosniak

Leonardo Henrique Wosniak

Querida mãezinha Terezinha, mamãe, vim com você até aqui atendendo seu coração.

Agradeço a sua persistência em manter acesa a esperança…

Sei que hoje é para você a sua grande esperança por notícias e sinto em meu coração o pulsar de sua ansiedade.

Peço mamãe que me entenda, porque não irei narrar o que tenha me ocorrido diante da agressividade ocorrida…

Me ajude a esquecer as feridas que ficaram para trás…

Estou aos poucos me encontrando com Deus…

Sinto que a vida se afunilou para mim ao me ver ao lado de uma outra realidade.

Estou aqui com meu avô Henrique, que me dá sustentação para poder escrever.

Mamãe, não se preocupe mais, não fique mais intranquila, porque estou de pé, sem mais me incomodar com o que tenha ocorrido.

Acima do solo da Terra sei que há uma justiça perfeita que contabiliza todas as ações humanas. Não há falhas nessa contabilidade.

O homem atinge até onde suas condições permitem, mas do que estou sabendo as análises de cada situação são reavaliadas aqui.

Também sinto muito a falta de nós, mas agora estou aqui nestas páginas para lhe pedir que comece a viver de novo com o tempo que lhe é determinado ficar nas lutas físicas.

O nosso reencontro acontecerá no seu momento certo.

Sinto de longe sua angústia e não posso negar que me atinge, mas faço o possível para não entrar em clima de desânimo.

Me ajude também a vencer esses instantes.

Eu estou bem mãe, mas preciso vê-la firme com vontade de viver, quem sou eu para pedir que não sinta a dor da saudade, mas sou o filho pedindo que você passe a viver com mais entusiasmo esperando acima de tudo a justiça de Deus.

Espero em outras oportunidades que ao entrar em casa seja como antes quando dispúnhamos a jogar a conversa em dia nas coisas corriqueiras do dia a dia.

Vai fundo Dona Teresa, porque estou aqui com você dando-lhe o abraço que tanto gostaríamos de dar para matar de vez nossa saudade.

Não chore com tanta dor, mas com esperança e coragem e bom ânimo.

Você sempre será a mãe amiga que guardo em minhas lembranças.

Com o beijo do filho, com o abraço do vovô Henrique.

LEONARDO HENRIQUE WOSNIAK (15/01/2012, 24 anos)

Mensagem psicografada no Centro Espírita O Bom Samaritano, em Curitiba, no dia 28 de abril de 2013, pelo médium Orlando Noronha Carneiro­

Publicado em Psicografias