Esclarecimento – Fases Missionárias de Chico Xavier

2)    Esclarecimento

Apenas por uma divisão didática, paralelamene a Fase de Revelação, temos a Fase do Esclarecimento.
Encontraremos com mais ênfase os esclarecimentos de André Luiz nas suas magníficas obras denominado pela FEB como Série A Vida no Mundo Espiritual.

Iniciando com a obra best-seller Espírita NOSSO LAR, teremos noções da Estrutura Social-Espiritual de uma das infinitas Colônias Espirituais que pulula ao redor da ambiência humana, localizando-se exatamente nos “céus” do Rio de Janeiro.

Como nos diz com muita propriedade o orador e médium Carlos Baccelli de Uberaba, que conviveu intimamente com Chico Xavier, por mais de 25 anos junto com sua esposa Márcia Baccelli, Allan Kardec desvendou o edifício da vida espiritual e André Luiz colocou as mobílias no Mundo Espiritual.

A série nos descortinam realidades do Mundo Espiritual, a ponto do confrade Mario Frigéri lançar pela FEB a excelente obra As 7 Esferas Espirituais que nos dão noção das diversas dimensões que constituem o Mundo Espiritual, ou seja o Plano Espiritual não é uma reta sem fim, mas é como a visão de uma cebola descascada ao meio, onde as gomas representam as várias dimensões espirituais.

Por outro lado vamos verificar que em 1941, Emmanuel lança a Obra O CONSOLADOR que sem dúvida é a sequência de O Livro dos Espíritos. Emmanuel estrutura didaticamente a Obra no tríplice aspecto da Doutrina Espírita: Ciência, Filosofia e Religião, constituído de 410 perguntas formuladas a Emmanuel. Uma Obra atualíssima, de inegável valor moral. Assim compreendemos e nos rendemos a Sabedoria de Emmanuel como outrora mencionou o escritor Clóvis Tavares.

Retornando a André Luiz, no livro No Mundo Maior, editado em 1947, iremos verificar o capítulo 3  denominado A CASA MENTAL, preciosa abordagem da visão espiritual concernente aos mecanismos do pensamento e da estrutura de nossa Casa Mental.
Em Missionários da Luz, André Luiz desenvolverá no capítulo 2 o tema pertinente a Epífise, que hoje é exaustivamente pesquisado pelo Dr Sergio Felipe, como sendo a glândula da mediunidade, sensor do organismo humano capaz de registrar, capturar, sequestrar as ondas mentais provenientes da esfera espiritual sendo “materializada” pelas faculdades mediúnicas. Aí esta o que os benfeitores orientaram Allan Kardec em O Livro dos Médiuns, dizendo que a faculdade mediunidade erradica-se no organismo humano, conquanto, seja uma atribuição do espírito imortal.

Mais uma vez Emmanuel, vem presentear os homens com a série Fonte Viva conforme denominou a FEB. São os Livros: CAMINHO, VERDADE E VIDA – 1949, PÃO NOSSO – 1950, VINHA DE LUZ – 1952, FONTE VIVA – 1956. Estudo genuinamente evangélico. Livros de cabeceira, livros de reflexão diária.

Emmanuel desdobra o pensamento do Cristo, em sua essência. O que é admirável que de uma simples palavra ou a construção de pequena frase, o Benfeitor leciona fantasticamente convidando-nos a profundas reflexões em torno do pensamento do Mestre REGISTRADOS pelos quatro Evangelistas, como também de Atos dos Apóstolos e Apocalipse.

Como não abordar o livro Pensamento e Vida de Emmanuel lançado em 1958, cartilha que é utilizada no Mundo Espiritual consoante elucidações de Emmanuel. Temas como O ESPELHO DA VIDA, VONTADE, INSTRUÇÃO, EDUCAÇÃO, BERÇO, FAMILIA, ENFERMIDADE, AMOR… e assim se desdobra importantes capítulos.

E para concluir, André Luiz, se valendo dos médiuns Chico Xavier e Valdo Vieira, trazem ao prelo Evolução em Dois Mundos – 1959  e Mecanismos da Mediunidade – 1960. O Céptico poderia questionar em se tratando de Valdo que era médico, mas como questionar as abordagens inseridas nestas duas obras substanciosas de cunho extremamente cientifico, com especificações técnicas na área da eletrônica, química, física e biologia advindas das mãos divinas de Chico Xavier que tinha formação primária?

E para demonstrar ainda mais a ação da vida espiritual aos homens encarcerados na dúvida, enquanto um medianeiro escrevia em Pedro Leopoldo, o outro medianeiro escrevia em Uberaba. Reunidos os capítulos verifica-se a lógica sequencial de um capítulo para outro e fica sustentado a mesma forma gramatical, estrutura de pensamento do mesmo Espírito no caso André Luiz, por medianeiros diferentes.

E ainda hoje, fica-nos o convite para viajarmos neste acervo de pérolas espirituais, o que infelizmente verificamos poucos, mesmo os que já militam na Doutrina Espírita a tempos, a compulsarem vagarosamente estes tesouros para se instruírem em bases seguras vivendo plenamente o Evangelho de Jesus em cada minuto da presente encarnação.

Por: Orlando Noronha Carneiro

Publicado em Chico Xavier - Fases Missionárias