5ª Psicografia de Eduardo Pires Fernandes

Eduardo Pires Fernandes

Eduardo Pires Fernandes

Papai, Mamãe, Fê meu Amor, Que o Pai da vida nos dê a  coragem  de  sempre…

Hoje é um dia de grande alegria para mim, pois me sinto como o Filho que entregasse aos pais e a sua eterna estrela um diploma de Formação Universitária…

Nós sabemos como chegamos aqui, com feridas abertas na alma…

Eu não vou fazer um histórico, mas sabemos que a luta dos dois lados foi intensa…

Pego assim pela maldade, sem poder ter uma defesa, e ver sua vida se transformar…

Claro que gritei aqui pelo acontecido, indignado, mas não estive órfão aqui…

Pessoas que eu não conhecia, me abraçaram, me envolveram em dengo e proteção, ajudando-me a vencer as cicatrizes da alma…

Ah! Pai

Ah! Mãe

Ah! Fê…

Na hora que doía assim forte de saudade, que doía mais que os projeteis que me dispararam, estas criaturas anônimas me carregavam no colo…

O Magrelo se sentia criança, como se a vida me chamava a um outro “sambar”…

Meu coração quando se fazia em toque de bateria, vinham mãos que me confortavam, até que um dia cheguei aqui neste lar espiritual… Meu, foi muito bacana chegar aqui… Nós daqui  misturado com vocês aí… População grande do lado de vocês… Mas com uma organização  tremenda…

Aí me apresentaram um jovem, com um sorriso de derreter sorvete Fê!

Um rapaz iluminado, de olhar profundo e meigo, capaz de sensibilizar qualquer pessoa.

É claro não é um Deus, não é um Jesus, mas é um trabalhador deles.

Eu cheguei sem sentir os próprios pés, tamanha saudade de vocês, e olha vê vocês aqui no salão… Foi quando me levaram até este jovem, e assim lhe falaram:

– Abelha, este é o Eduardo, os pais dele estão sentados ali (o meu apresentador apontou para os meus pais)…

– Ah! Sim!

Para minha surpresa e minha paz este jovem me abraçou longamente, intensamente…

Ele olhou para mim firme e com bondade, beijou meu rosto e afagou sua mão direita no meu peito que doía de saudade… Falou comigo por alguns minutos, que foram o suficiente para acalmar o meu peito… Ele me levou até vocês papai e mamãe e Fê… Me ensinou a tocar em vocês, e me disse:

– Vamos vê se a afinidade com o médium se faz! Caso positivo, você estará programado para a mensagem de hoje… Foi quando entramos na sala e eu pude com auxílio do Abelha me fazer ver pelo Médium, e me sentir… Assim é que tudo aconteceu. E depois toda psicografia eu vinha…

E com o tempo fui dando apoio mesmo com minhas deficiências técnicas… Fui aprendendo… Via Filhos chegando aqui e que vieram pelo homicídio…

Eles sentiam a dor que eu sentia, como os seus familiares… Fui trocando dedos de conversas com eles e as coisas foram fluindo…

E sem que eu desejasse nada, recebi em dezembro o convite do Abelha para integrar junto com a sua equipe… Estou me especializando, fazendo cursos, para atender melhor… E disse o Abelha:

– Magrelo, você atenderá muita gente, com o nosso grupo de apoio, mas principalmente os casos de homicídio você será responsável também de auxílio, consolo e orientação…

Pai! Mãe! Fê.

Vocês não imaginam a “responsa”…

Estou aprendendo com a supervisão deles…

É este o diploma que venho entregar para vocês, simples mas que vem me ajudando a sorrir mais…

Espero ter a aprovação de vocês… Vamos trabalhar!

Avancei na escrita, mas com a alegria de poder dizer para todos que estão aqui, que seus familiares podem e fazem o Bem neste grupo de trabalhadores sob a coordenação pelos olhos de Mel Seu Abelha.

O Filho que os ama,

Dúh!

Eduardo Pires Fernandes

Desencarne: 25/01/2012 – Vítima de Homicídio

Carta Psicografada em 02/02/2014 – Médium: Orlando N. Carneiro

Local: Pronto Socorro Espiritual Pais e Filhos – Osasco – SP

  

OBS: O NOME ABELHA MENCIONADO NESSA PSICOGRAFIA É O APELIDO DE UM TRABALHADOR ESPIRITUAL DA CASA PRONTO SOCORRO ESPIRITUAL PAIS E FILHOS.

Foto do Abelha (apelido de André)

Foto do Abelha (apelido de André)

Publicado em Psicografias