1ª Psicografia de “Edu” – Eduardo Pires Fernandes

Eduardo Pires Fernandes

Eduardo Pires Fernandes

Querido Pai Luiz

Querida Mãezinha Lucimar

Meu irmão Fabrício

Querida Fernanda,

Primeiramente, vamos pedir a Benção de Deus para todos nós…

Como começar as notícias que desejo lhes trazer nesta manhã se me esforço para ficar de pé, diante da emoção que me vejo desde que cheguei aqui…

Conduzido por amigos bondosos que me trouxeram neste ambiente de festa e alegria…

Aqui é festa e alegria, mesmo vendo corações em lágrimas e dor…

Ao saber que estaria na programação das mensagens, senti o coração bater mais rápido, mais estou aqui para lhes deixar o meu recado…

Já entendi o que aconteceu…

Na minha cabeça já está resolvido…

Aprendi a entender que o autor de minha vinda para cá é um doente é um coitado, que só arrumou para ele sérios problemas…

Ele não soube entender a minha abordagem e descambou para a violência…

A violência que colocamos para fora é apenas a violência que temos a tempo incutido na alma.

Por aí, quantos estão com a violência adormecida, esperando apenas uma bobeira para agir.

Foi o que ocorreu…

Mas ninguém tira a vida de ninguém…

A dor que nos estampa no coração vai passar por mais que parece uma eternidade de sofrimento…

Mas aquele que ergue as mãos para agredir não sabe por quanto tempo lhe ficará na consciência acusando, como se fosse um fogo que não se apaga…

“Ainda bem que de minhas mãos não derramei sangue de ninguém…”

Mamãe e pai, fiquem serenos, com o coração em paz, pois não guardo rancor pelo infeliz que me agrediu, o que também para mim foi uma surpresa a atitude dele, pois se tivesse uma pequena dúvida, deixaria o débito que mantinha comigo para trás.

Vocês podem dormir sem se preocupar comigo, como estou após o homicídio.

Claro que de início foi um “back”, mais depois fui ajudado a refletir em tudo, em todas as circunstâncias, para não descambar para a revolta e para qualquer ação de revide…

O que prefiro pensar é mais em nós…

Fabrício, meu irmão

Tudo vai bem comigo. Cara não desanime, vai em frente porque estamos mais juntos e colados do que antes…

E como teu irmão, quero te dizer que a vida aí é só um segundo perto do que representa a vida aqui…

Fernanda, Fê meu amor, não entregue não a toalha…

Isso não pode valer em nossa relação…

Precisamos ser felizes, precisamos olhar para frente, e retomar o caminho.

Quem sabe um dia nossos sonhos continuem em alguma estrada que Deus está preparando para nós.

Temos que aceitar e não por aceitar, mas compreender que eu não fui expulso de sua vida…

Caminhar! Isso caminhar para frente e não para o passado…

Torço por sua felicidade e não esquecerei de você, nunca…

 

É papai o jogo da vida parece ser duro mais não é não vamos deixar derrotar pelas pedradas que nos chegam.

Agora mais solto vou levantando a cada dia com alegria, e festa no coração…

Aqui não tem lugar para fantasma não…

Aqui é uma beleza é uma alegria…

Saibam por favor que estou bem, na boa e conhecendo muita  gente linda, por aqui…

Vão em paz!…

Porque estou na paz e no amor.

Preciso parar, pois o Abelha nosso amigo me disse: “logo que te ví sabia que você fala muito…”

Então paro para seguir as orientações dos benfeitores que nos amparam aqui…

Ninguém se esconde do erro que cometeu…

Um dia a pessoa com seu erro aparece no espelho que chamamos Deus…

Bola pra frente gente!…

Com alegria!

O Filho o irmão

e eterno amor

 

Edu – Eduardo Pires Fernandes

Carta Psicografada Por: Orlando Noronha Carneiro em 03/06/2012

Local: Pronto Socorro Espiritual Pais e Filhos – Osasco – S.P.

Publicado em Psicografias